Spaghetti de Espinafres e Farinheira com Noz

Fev 7th
Spaghetti de Espinafres e Farinheira com Noz

Sim, nós tentamos que este seja um blog de culinária com um qualquer je ne sais quoi de elegância… mas a verdade é que somos duas mulheres banais, com vidas banais e que se deparam com os mesmos “problemas” que o resto da população…

Por esse motivo, este prato não surgiu de um maravilhoso e repentino laivo de inspiração mas, confesso, tão só e apenas graças ao final da validade da dita farinheira. E foi então, perante a obrigatoriedade de ter que dar destino à mesma (tenho uma aversão profunda a deitar comida fora) que preparei esta delícia. Ficou muito agradável porque o sabor acentuado da farinheira foi suavizado pelas natas e equilibrado com os espinafres. E as nozes deram o toque final!

 

Ingredientes:

  • 1 farinheira
  • 1 molho de espinafres
  • 200 ml natas ligeiras
  • Meia chávena de nozes grosseiramente moídas
  • Pimenta preta q.b.
  • Flor de sal q.b.
  • Azeite q.b.
  • 4 dentes de alho picados
  • Esparguete q.b. (estimo sempre 110 gr/pax)

Preparação:

  •  Cozer o esparguete al dente em água com um fio de azeite e flor de sal.
  • Esturgir os dentes de alho finamente picados em azeite.
  • Adicionar a farinheira (sem a tripa) grosseiramente partida e deixar cozinhar.
  • Juntar as folhas de espinafres (não é necessária cozedura prévia).
  • Temperar (flor de sal e pimenta preta) e deixar apurar.
  • Acrescentar as natas ao preparado anterior e deixar cozinhar.
  • Envolver o esparguete neste preparado.
  • Empratar com as nozes previamente moídas e servir.

Bon appétit!

Sugestão de vinho:

O vinho branco é ingrediente habitual na cozinha mediterrânica. A sugestão do vinho desta vez vem em forma de “dica”, dentro do tema de “aproveitar sem desperdícios”: Esqueçam os “pacotinhos” de vinho (muito) barato que só serve para (maus) cozinhados. Saindo um pouco da zona de conforto habitual neste género encontramos vinhos fantásticos por menos de 3~4€ que não só são perfeitos para a cozinha do dia-a-dia como tornam o próprio acto de cozinhar numa experiência ainda mais agradável ao permitir que acompanhemos a elaboração da refeição com um “fundinho” de um bom vinho que nos desperta ainda mais para os aromas que estamos a preparar. Guardado no frigorífico, de preferência com uma rolha de vácuo qualquer vinho dura 2 ou 3 semanas sem se alterar muito (sim, 2 semanas – um “fundinho” para o cozinheiro(a) é suficiente!)

Há imensas opções no mercado mas podem começar com o Quinta da Alorna Branco.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>