Ossobuco alla milanese

Mai 9th

Ao contrário de muitas pessoas, a carne limpa de veios, nervuras, cartilagens, ossos e afins não é a que mais me seduz…

As peças de carne menos bonitas são, geralmente, as mais saborosas. Desta vez, resolvi preparar ossobuco alla milanese! Esta peça corresponde a um corte às rodelas do chambão de vitela e é uma carne particularmente saborosa. A cozedura lenta deste prato confere-lhe uma textura divinal e acentua todos os sabores da carne. A gremolata original é preparada com raspa de limão, mas resolvi testar com raspa de lima e resultou igualmente bem. À semelhança dos pratos de forno, é uma receita que permite alguma liberdade para fechar a porta da cozinha e ir fazer qualquer outra coisa! Eu adorei, o senhor meu marido também e a pequena princesa pediu mais… acho que está mais do que aprovada!

Ingredientes:

  • 2 peças ossobuco grandes
  • margarina q.b.
  • farinha q.b.
  • flor de sal q.b.
  • pimenta preta q.b.
  • azeite q.b.
  • raspa de uma lima
  • 1 ramo grande de salsa biológica
  • 3 dentes de alho
  • 2 colheres de sopa de polpa de tomate
  • 1 colher de sopa de cebola caramelizada
  • 1,5 chávena de caldo de legumes

Preparação:

  • Fazer alguns cortes nas extremidades da carne para não enrolar.
  • Temperar com flor de sal e pimenta preta e passar por farinha.
  • Refogar a cebola caramelizada em margarina.
  • Retirar a cebola da frigideira e reservar.
  • Alourar a carne de ambos os lados na mesma frigideira com mais um pouco de margarina.
  • Acrescentar a cebola previamente refogada, a polpa de tomate e regar com o vinho branco.
  • Agitar e deixar evaporar.
  • Regar com o caldo quente e cobrir com uma tampa, cozinhando em lume baixo durante aproximadamente 1h45, virando a carne a meio da cozedura.
  • Picar a salsa e o alho finamente e misturar com o azeite e as raspas de lima.
  • Cobrir a carne com o preparado anterior e deixar apurar.
  • Empratar e servir com puré de batata caseiro aromatizado com salsa.

Bon appétit!

Sugestão de vinho:

Um prato tão aromático e tão cheio, conjuga bem com o perfil “vegetal” e “terra” de um cabernet sauvignon. São raros os monocastas portugueses com Cabernet, justamente pelo seu carácter verde e herbáceo. Encontramos no entanto Cabernet na maioria dos nossos vinhos, em conjunto com outras castas. Desta vez sugerimos uma conjugação com Merlot, no Quinta da Bacalhôa.

Quinta da Bacalhôa

Quinta da Bacalhôa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *