Favas com entrecosto e enchidos

Jul 10th

A noção de risco é muitas vezes socialmente limitada… Só arrisca quem se atira de um pára-quedas ou aquele que largou o emprego para abraçar um projecto individual. Arriscar pode ser um verbo presente em todos os momentos da nossa vida. Arriscamos quando decidimos ter um filho, arriscamos quando vestimos aquela cor que pensámos nunca experimentar. Gosto de acreditar que pensar em favas com entrecosto e enchidos num dia de verão também é um risco. Todavia, pegar numa iguaria tão portuguesa, tão tradicional, tão carregada de costumes e transformá-la foi um risco estudado e ponderado. Confesso que fiquei muito feliz por ter tido um resultado visual tão agradável e diferente, mantendo os sabores tão caseiros e acolhedores que associo a esta receita…

Ingredientes:

  • Entrecosto
  • Chouriço
  • Farinheira
  • Favas
  • 3 colheres chá de cominhos moídos
  • 2 colheres chá de coentros moídos
  • 1 molho de coentros frescos
  • 1 cebola
  • 3 dentes alho
  • 1 tomate maduro
  • Azeite
  • Sal
  • Pimenta preta
  • Vinho branco (aprox. meio copo)

Preparação:

  • Cozer as favas em água e sal e reservar.
  • Preparar um refogado com o azeite, a cebola e os dentes de alho.
  • Adicionar o tomate picado.
  • Juntar o entrecosto, o chouriço, o vinho branco e um copo de água
  • Quando o entrecosto estiver quase cozido, juntar a farinheira, os coentros frescos (parte), 2 colheres chá de cominhos e os coentros moídos.
  • Temperar com sal e pimenta e deixar apurar.
  • Reduzir as favas a puré e juntar um fio de azeite, uma colher chá cominhos e os coentros frescos. Picar novamente e rectificar os temperos.
  • Empratar e servir.

Bon appétit!

Sugestão de vinho:

Na semana em que os Desafios da Adega visitaram a Torre do Frade não podemos deixar de salientar que uma harmonização de vinhos com comida não se deve ficar apenas pelos sabores. A acompanhar a reinterpretação de um prato habitualmente “pesado” em algo sofisticado sugerimos um vinho que também representa uma nova geração de tintos alentejanos: Virgo.

O Virgo alia as características tanto apreciadas nos tintos alentejanos a um novo conceito de registo e partilha do momento de consumo. O conceito está todo explicado aqui: www.virgo.pt

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *